top of page
  • Foto do escritorFrançois

A Democracia venceu mais uma

E veja a força simbólica dessa vitória! O lugar onde deu. No Chile. Allende deve ter, de onde estiver, gritado: "Viva Chile, Mierda"!.....................................


A extrema direita havia vencido no primeiro turno. A fascistada daqui estava eufórica. O candidato do fascismo de lá era amigo e admirador declarado do presidentasto daqui. Trocavam admirações mútuas e extensivas a ditaduras e torturadores. Todo ditadura é uma merda. Esteja onde estiver na Rosa dos Ventos.


O candidato extremado da direita de lá era devoto declarado do torturador Pinochet. Ocorre que no Chile o voto é facultativo, e a abstenção foi enorme no primeiro turno. Ao ver o perigo os chilenos decidiram votar e viraram o jogo.


Deve haver ranger de dentes na tchurma daqui. O "pingos nos ís" já contavam a vitória como certa. A primeira dama fazia orações e Bolsonaro já havia escolhido o paletó para ir ver a posse do amigo in pectore. Mas, a superstição reza que onde essa gente torce, a porca torce o rabo. Torceu, perdeu. É o azar aboletado no poder do Brasil.


Viva o Chile, Merda!

50 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Esconderijo de silêncios (VI)

Desde a partida do padre Salomão, Januária quase acostuma-se com a calmaria religiosa entre as igrejas. O novo padre, tolerante, a igreja Batista, luterana, com um pastor tradicional, os terreiros de

E quando morrer?

Ao nascer, nem lembro quando, se chorei, nasci. Infância de grotas, chãs, pé de serra, frutas, sacristias, chuva e seca, se brinquei, sorri. Adolescência, remanso das dúvidas, morrem as certezas, veló

Esconderijo de silêncios (V)

A chegada de novo pároco em Januária atiçou a curiosidade noturna dos habitantes. O que houvera de fato? O sacristão segurava-se na promessa feita ao padre Salomão. O novo padre, jovem, foi alvo de as

コメント


bottom of page