• François

A esmola liberal

O liberalismo sempre criticou com retórica e números a demagogia populista da esmola. Tudo se resolveria com empregos, enxugamento do Estado, entrega da atividade produtiva à iniciativa privada, preços regulados pelo mercado, blá,blá,blá.

O paraíso estava à mão. Crescimento da economia, liberdade de investimentos e combate à corrupção. Tudo entregue à competência privada.

Aí veio a realidade. Primeiro, num país miserável o Estado obriga-se a estar presente. Segundo, a corrupção se deu com o Estado cooptado pela "competente" iniciativa privada. Empreiteiras e empresários comprando e vendendo "licitações", num conluio com o poder público. Não era o Estado. Eram ladrões do erário. Tornando os empresários "bem sucedidos" em milionários, à custa dos miseráveis.

Agora, o liberalismo decide por força da realidade ofertar uma prebenda. Um óbulo, uma esmola de seiscentos reais. Só que desastradamente não sabem como entregar a esmola prometida. E os esmolantes, de bacia de flandre na mão, mendigam pelas ruas da internet. "como faço pra receber"? "eu tenho direito"? "quando sai"?

Foi a esmola prometida mais demorada da história da demagogia. Os liberais não se prepararam para uma realidade simples. Eles não conhecem o Brasil. Nunca conheceram. São fantoches das próprias teorias. E os mendigos aos montes continuam sem saber onde danado estão "os seiscentos"... Seu Guedes, coitado, foi salvo pelo gongo do corona vírus.

46 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

...da derrota de Bolsonaro. É Lula? Não. Lula sabe que nada está definido. Eleição e mineração só depois da apuração. Lição do velho pessedismo dos tempos saudosos do Brasil ingênuo e democrático. Inc

...um frouxo armado! Bolsonaro grita histericamente num palanque: "Povo armado não será escravizado". Mas não diz, "homem armado não será assaltado". Por que será que não diz? Vou contar. Vinha o ex-c

Acompanhei por muitos dias vários portais da Direita, bolsonaristas ou moristas, e descobri o óbvio. O discurso monocórdio, chato, paulificante. Portais, blogs e rádios televisadas. Vendedores de opin