• François

A esmola liberal

O liberalismo sempre criticou com retórica e números a demagogia populista da esmola. Tudo se resolveria com empregos, enxugamento do Estado, entrega da atividade produtiva à iniciativa privada, preços regulados pelo mercado, blá,blá,blá.

O paraíso estava à mão. Crescimento da economia, liberdade de investimentos e combate à corrupção. Tudo entregue à competência privada.

Aí veio a realidade. Primeiro, num país miserável o Estado obriga-se a estar presente. Segundo, a corrupção se deu com o Estado cooptado pela "competente" iniciativa privada. Empreiteiras e empresários comprando e vendendo "licitações", num conluio com o poder público. Não era o Estado. Eram ladrões do erário. Tornando os empresários "bem sucedidos" em milionários, à custa dos miseráveis.

Agora, o liberalismo decide por força da realidade ofertar uma prebenda. Um óbulo, uma esmola de seiscentos reais. Só que desastradamente não sabem como entregar a esmola prometida. E os esmolantes, de bacia de flandre na mão, mendigam pelas ruas da internet. "como faço pra receber"? "eu tenho direito"? "quando sai"?

Foi a esmola prometida mais demorada da história da demagogia. Os liberais não se prepararam para uma realidade simples. Eles não conhecem o Brasil. Nunca conheceram. São fantoches das próprias teorias. E os mendigos aos montes continuam sem saber onde danado estão "os seiscentos"... Seu Guedes, coitado, foi salvo pelo gongo do corona vírus.

46 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Casamento e mais filhos

Bolsonaro declarou que o casamento com o PL do mensaleiro Valdemar da Costa Neto, aquele que foi condenado por corrupção, de quem Bolsonaro dizia querer distância, "vai gerar muitos filhos". Bem, po

A toga e o hipócrita

O ex-juiz Sérgio Moro revela-se muito preocupado com com uma recente besteira dita por Lula, quando interrogado sobre a quarta "eleição" de Daniel Ortega, na Nicarágua. Foi uma observação infeliz? Foi

A direita se lambuza...

...e seus adoradores ejaculam no gozo alheio. Bolsonaro, o rei da mentira, levou filhos e bajuladores "in pectore" para um passeio milionário, à custa do contribuinte, em Dubai. Tudo muito rico, muito