• François

A ilha de Sancho Pança

Um país imbecilizado chefiado por um imbecil. Chefiado? Tanto quanto Sancho Pança chefiava a ilha que governou, na esteira da fantasia do seu chefe louco. A única e maior vítima disso tudo é a própria loucura, quando se aboleta em cabeças recheadas de merda. Diferentemente da "loucura" dos sábios, que produz arte e ciência. O Sancho de Cervantes era um bonachão benéfico e útil à arte. O bufão daqui é um inútil que nunca produziu nada, à exceção do moinho de moer esterco.

E os seus acólitos, cada vez menos numerosos, promovem a cruzada de Brancaleone, cuja vestimenta de trapos morais enfrentam os atropelos da estupidez.

54 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Rifa macabra

Isso não é um governo. É uma rifa clandestina entre amigos e sicários da população, posto que dos atos e omissões o resultado foi a mais cruel mortandade populacional da história do Brasil. Amigos civ

As tripas de um país fecal

Cujo presidente dá um susto nos aliados ao ter interrompida a tripa cagaiteira. Pois pois, como diria um português de Lisboa. "Ô pá, lamento, mas se todo mundo morre um dia, como disse o próprio gajo,

Só Cagão? Não...

Azarão também. Cagou para a CPI e azarou a Seleção. Onde Bolsonaro põe a torcido o azar hospeda-se junto. Torceu pro Trump, Trump lascou-se. Torceu na eleição da Bolívia, a esquerda venceu. Torceu pel