• François

A ilha de Sancho Pança

Um país imbecilizado chefiado por um imbecil. Chefiado? Tanto quanto Sancho Pança chefiava a ilha que governou, na esteira da fantasia do seu chefe louco. A única e maior vítima disso tudo é a própria loucura, quando se aboleta em cabeças recheadas de merda. Diferentemente da "loucura" dos sábios, que produz arte e ciência. O Sancho de Cervantes era um bonachão benéfico e útil à arte. O bufão daqui é um inútil que nunca produziu nada, à exceção do moinho de moer esterco.

E os seus acólitos, cada vez menos numerosos, promovem a cruzada de Brancaleone, cuja vestimenta de trapos morais enfrentam os atropelos da estupidez.

0 visualização