• François

A lição de Felipe Neto

A performance de Felipe Neto no The New York Times foi irretocável. O jovem reciclou-se, e o fez tempestivamente. Não esperou envelhecer para autocriticar-se. Não. Amadureceu no tempo certo e está prestando um grande serviço à Democracia.

Essa é a opinião geral dentre os combatentes do bolsonarismo? Não. Após sua apresentação, eu fiz um passeio por blogs e portais. Da esquerda e da direita. Na direita, nenhuma surpresa. Só adjetivação, desaforos e análises de beira de quintal. Tá nos conformes da sua formação.

A surpresa, se é que foi surpresa, aconteceu na esquerda. De jovens progressistas torcendo o beiço, num gestual típico do ciúme. Despeito infantil. Dos da minha geração, repetição de chavões cujas cores esmaecem sob a poeira ou no interior do mofo.

O fascismo sobrevive muito mais pela burrice dos seus combatentes do que pelo talento dos fascistas. Se é que haja talento na estupidez.

44 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Mais uma ideologia abatida

E eu deixando mais uma fora das minhas crenças. Qual? O anarquismo, a graciosa ideologia de Bakunin e de Proudhon. Era o anarquismo uma espécie de segundo time, onde desaguavam todas as tendências pro

Aplauso

Não tenho alinhamento automático com nenhum partido ou grupo ideológico da atual vida nacional. Nenhum. Situo-me na posição de esquerda independente, abominando todo e qualquer tipo de fundamentalismo

Padre Tércio...

...mais um desmanche do passado. E como dói. Não doem os músculos nem o coração, é o passado que dói. Quando cheguei ao Ginásio Diocesano Seridoense, que depois virou Colégio, em 1961, o diretor era M