top of page
  • Foto do escritorFrançois

A resistência...

...e os quibas dos generais.


Estou indo para Martins organizar a resistência ao golpe Bozobragheleno. Faremos um desfile com as tropas do Grupo Almino Afonso e depois seguiremos para o Diadema, de onde sai o acesso para a Ladeira Treze de Maio, na direção das grotas para o Sertão.


O treinamento com armas será realizado no Sítio Pimenta, de Zé de Estêvão, de saudosa memória. São três espingardas de soca e cento e cinquenta baladeiras, com ligas de pneus de bicicleta e ganchos de pau d'arco.


Todo o treinamento será com o objetivo de esperar os golpistas Braga Neto, Ramos e Heleno, generais medalhados de gordo soldo. A turma já está bem treinada para acertar os alvos. Serão miradas as baladeiras na direção dos contracheques, que os generais escondem no fundo dos bolsos das calças, vizinhos do saco onde eles escondem os quibas. Acertou ali, morreu o golpe.

45 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Povo e o fascismo pentecostal

Um milhão de pessoas na rua, numa manifestação, não é Povo. Nem dez milhões, nem cem milhões. É Massa. Merece respeito? Sim. Mas não é povo. Povo é o conjunto de todos de um país, cada um compreendido

Pequeno burguês de esquerda

Certa vez, um comentarista do Blog de Carlos Santos, pensando me agredir, chamou-me de ex-comunista. Eu respondi confirmando, para desencanto dele. Disse, na época, que concordava com a afirmação. E q

Desaforismos ao pé do chope.

I- Se em cada cabeça, uma sentença; em cada bunda, uma sentada. II- Tolstói disse que "certas pessoas ao entrarem numa floresta, só veem lenha para a fogueira". Hoje, muita gente olha para para a mu

bottom of page