• François

Ainda sobre militares

Pra se ter uma ideia da politização nas forças armadas, até a década dos anos Sessenta, basta observar o quadro eleitoral da redemocratização após o Estado Novo. Não houve uma eleição presidencial, de 1945 a 1960, em que não estivesse na disputa um militar general. Em 1945, foram dois. O General Eurico Dutra contra o Brigadeiro Eduardo Gomes. Brigadeiro é o general da Aeronáutica. E só nessa eleição ganhou um militar. Dutra. Em 1950, novamente o Brigadeiro Eduardo Gomes disputou a Presidência, tendo sido derrotado pelo ex-ditador Getúlio Vargas. Em 1955, o General Juarez Távora foi o candidato da UDN, tendo sido derrotado pelo candidato do PSD, Juscelino Kubitschek. Em 1960, o candidato do PSD foi o General Henrique Teixeira Lott, que foi derrotado por Jânio Quadros.

Depois disso, veio a escuridão. Vinte anos de Ditadura, com a presidência transformada em carreira militar.

21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

...da derrota de Bolsonaro. É Lula? Não. Lula sabe que nada está definido. Eleição e mineração só depois da apuração. Lição do velho pessedismo dos tempos saudosos do Brasil ingênuo e democrático. Inc

...um frouxo armado! Bolsonaro grita histericamente num palanque: "Povo armado não será escravizado". Mas não diz, "homem armado não será assaltado". Por que será que não diz? Vou contar. Vinha o ex-c

Acompanhei por muitos dias vários portais da Direita, bolsonaristas ou moristas, e descobri o óbvio. O discurso monocórdio, chato, paulificante. Portais, blogs e rádios televisadas. Vendedores de opin