• François

Aplauso

Não tenho alinhamento automático com nenhum partido ou grupo ideológico da atual vida nacional. Nenhum. Situo-me na posição de esquerda independente, abominando todo e qualquer tipo de fundamentalismo. Desde o fundamentalismo do terror quanto o fundamentalismo religioso, que não deixa de ser uma fisionomia disfarçada do terror.


Mas essa é outra discussão. O aplauso referido neste texto é dirigido à governadora Fátima Bezerra. E olhe que recentemente lhe fiz duas severas críticas, ambas procedentes. Mas, neste momento obrigo-me a aplaudi-la.


Trata-se do seu esforço na manutenção em dia dos salários dos servidores públicos. Coisa que não aconteceu nas duas últimas e desastrosas gestões estaduais, quando o atraso não se deveu à falta de recursos, mas por falta de vergonha. Faltaram eficiência administrativa e vergonha moral nos dois governos antecessores do governo atual.


O governo vem mantendo o pagamento em dia e começou a quitar duas das quatro ou cinco folhas recebidas em atraso. Já quitou duas, começa a quitar o resto. É um feito digno de aplauso e uma demonstração da patifaria administrativa que desmandou no Estado por oito longos e tenebrosos anos. Os desmandos de Rosalba Ciarline e Robinson Faria. Ambos julgados e punidos nas urnas.


Parabéns, Fátima. Mas quando, em vez de aplauso for preciso bordoada, não me furtarei.

61 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Casamento e mais filhos

Bolsonaro declarou que o casamento com o PL do mensaleiro Valdemar da Costa Neto, aquele que foi condenado por corrupção, de quem Bolsonaro dizia querer distância, "vai gerar muitos filhos". Bem, po

A toga e o hipócrita

O ex-juiz Sérgio Moro revela-se muito preocupado com com uma recente besteira dita por Lula, quando interrogado sobre a quarta "eleição" de Daniel Ortega, na Nicarágua. Foi uma observação infeliz? Foi

A direita se lambuza...

...e seus adoradores ejaculam no gozo alheio. Bolsonaro, o rei da mentira, levou filhos e bajuladores "in pectore" para um passeio milionário, à custa do contribuinte, em Dubai. Tudo muito rico, muito