top of page
  • Foto do escritorFrançois

Até que chegou

Muito tarde, mas chegou. A lava-jato finalmente bateu às portas de uma gangue que tinha gozado da proteção escrachada dos operadores "donos" da Operação.

A turma de uma fatia importante do PSDB. José Serra, Aécio Neves e outros menos votados sempre gozaram do amparo do juiz Sérgio Moro e do promotor Degalanol. Numa das conversas publicadas pelo Intercept, há uma advertência do juiz ao pupilo promotor: "Não vamos estender muito, para não aniquilar o sistema político nacional". Essa cautela não era para proteger o "sistema político nacional". Não. Era para acobertar os corruptos do seu afeto. De seu amigo "in pectoris" Aécio Neves, dos tucanos paulistas e outros que certamente aparecerão.

Bastou o prestigio imperial do conje Moro decair, para o sol começar a desinfetar a operação. E abandonar a sujeira seletiva de só ter um lado a ser investigado.

Para quem não tem corrupto nem bandido de estimação é uma boa notícia.

69 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Esconderijo de silêncios (VI)

Desde a partida do padre Salomão, Januária quase acostuma-se com a calmaria religiosa entre as igrejas. O novo padre, tolerante, a igreja Batista, luterana, com um pastor tradicional, os terreiros de

E quando morrer?

Ao nascer, nem lembro quando, se chorei, nasci. Infância de grotas, chãs, pé de serra, frutas, sacristias, chuva e seca, se brinquei, sorri. Adolescência, remanso das dúvidas, morrem as certezas, veló

Esconderijo de silêncios (V)

A chegada de novo pároco em Januária atiçou a curiosidade noturna dos habitantes. O que houvera de fato? O sacristão segurava-se na promessa feita ao padre Salomão. O novo padre, jovem, foi alvo de as

Commentaires


bottom of page