• François

Bolsonaro, o surdo mudo

Com quem Bolsonaro vai conversar nas relações internacionais? Só com o imbecil do seu ministro de relações exteriores. Imbecilidade delegada pelo chefe e cumprida pelo esbirro.


Vejamos. Perdeu contato com a Comunidade Europeia, que sepultou, por enquanto até que o Brasil volte a ter governo, qualquer chance de relação com o Mercosul. Perdeu contato com a França e Alemanha, por burrice ambiental. Não tem contato com o Reino Unido, que simplesmente esnoba a desimportância do Brasil. Burra e estupidamente cria atritos desnecessários com China, nosso maior parceiro comercial, fundamental apara o agronegócio. Que já está criando alternativas de compra de soja e carne a médio prazo na África e outros países latino-americanos. Plantando soja e estimulando a pecuária nesses países.


Na sua bajulação servil a Donald Trump não trouxe qualquer benefício ao Brasil. Pelo contrário, expôs o rabo nacional à sanha dominadora do interesse americano. Após a derrota do seu donatário, vai se ver com a desfeita do novo governo do império do tio Sam.


E aqui, na vizinhança? Perdeu o contato com a Argentina, ao se meter indevidamente nas eleições daquele país. Perdeu o contato com a Bolívia, onde tinha um candidato chamado o "bolsonaro" de lá. Humilhado nas urnas. Promoveu uma campanha imbecil de criar um governo paralelo na Venezuela. Deu em quê? Em merda. Cadê Guaidó? Perdido feito cego na privada. Perdeu, também se intrometendo, no plebiscito do Chile. O que sobrou? A Coreia do Norte. Uma ditadura imbecil, que passou a ter o afeto de Donald Trump. Só. Com quem esse surdo mudo vai conversar?


45 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Mais uma ideologia abatida

E eu deixando mais uma fora das minhas crenças. Qual? O anarquismo, a graciosa ideologia de Bakunin e de Proudhon. Era o anarquismo uma espécie de segundo time, onde desaguavam todas as tendências pro

Aplauso

Não tenho alinhamento automático com nenhum partido ou grupo ideológico da atual vida nacional. Nenhum. Situo-me na posição de esquerda independente, abominando todo e qualquer tipo de fundamentalismo

Padre Tércio...

...mais um desmanche do passado. E como dói. Não doem os músculos nem o coração, é o passado que dói. Quando cheguei ao Ginásio Diocesano Seridoense, que depois virou Colégio, em 1961, o diretor era M