top of page
  • Foto do escritorFrançois

Despedida do Papo Cultura

Por Sérgio Vilar.

Sim, este estimado espaço sucumbiu à solidão do isolamento. Foram três e anos e meio de muito esforço para construir um blog do zero e ganhar de cara o prestígio da cena cultural do Estado.

Criei as redes sociais e um canal no youtube pro Papo. Juntos somam aproximadamente 11 mil seguidores. E mais do que seguidores, um engajamento muitíssimo bacana com média de 800 visualizações ao dia no blog.

E em respeito a todo esse registro publicado aqui e ao material enviado pelos colaboradores, vou manter o blog no ar, pagando anuidade e hospedagem. É um pedaço da história cultural do Estado para futuras pesquisas e um pedaço meu também.

Enfim, desapegar a isso tudo não tem sido fácil. Mas acho também que o Papo chegou ao seu limite. Sozinho e sem apoio financeiro para manter não consigo ir muito além. E sempre queremos mais. Então…

Sempre plural.

Então chegou a hora de juntar as trouxas e voltar pra casa. Há meses que o brother Conrado Carlos me caninga para voltar ao Substantivo Plural, onde estive por cinco anos, entre 2012 e 2017.

Acho que juntos podemos mais. Muitas ideias, empolgação renovada, parcerias em vista e já trabalhando para por o portal no ar de novo. Viremos mais fortes. Em alguns dias ou duas semanas no máximo botaremos a cara na janela de novo.

Um projeto de financiamento coletivo será elaborado. Já tinha tudo montado para colaborar para a manutenção do Papo, mas agora será refeito para manter nosso bom e velho Substantivo Plural, criado por Tácito Costa lá atrás.

É isso. Fecha-se um ciclo para abrir outro. Foi assim com meu saudoso Diário do Tempo. Foi assim com o próprio Substantivo. E agora com o Papo Cultura. Carrego todos os colaboradores junto comigo. Vamos somar no SP.

Muitíssimo obrigado pela parceria de vocês. Em especial a Thiago Gonzaga e Ruben G Nunes por acreditar em nosso conteúdo.

Agora vamos ser plurais!


Do Blog: Lamento a despedida e torço pelo sucesso do novo empreendimento. Serjão é indispensável à nossa Cultura.

46 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Povo e o fascismo pentecostal

Um milhão de pessoas na rua, numa manifestação, não é Povo. Nem dez milhões, nem cem milhões. É Massa. Merece respeito? Sim. Mas não é povo. Povo é o conjunto de todos de um país, cada um compreendido

Pequeno burguês de esquerda

Certa vez, um comentarista do Blog de Carlos Santos, pensando me agredir, chamou-me de ex-comunista. Eu respondi confirmando, para desencanto dele. Disse, na época, que concordava com a afirmação. E q

Desaforismos ao pé do chope.

I- Se em cada cabeça, uma sentença; em cada bunda, uma sentada. II- Tolstói disse que "certas pessoas ao entrarem numa floresta, só veem lenha para a fogueira". Hoje, muita gente olha para para a mu

bottom of page