• François

E aí, general Mourão?

Qual é o Exército ao qual o senhor, vice-presidente eleito da República, referiu-se quando disse que "ou o comandante do Exército pune o general Pazuello ou estabelece a anarquia disciplinar". E continua: "Amanhã, qualquer um militar da ativa vai se achar no direito de opinar ou agir politicamente. Até porque há os que gostam desse governo e outros que não gostam". Tá gravado na net. Basta acessar.


Qual Exército? O de soldadinhos de chumbo que Bolsonaro chama "meu exército"? Ou o de Caxias? O de Caxias já fez muita merda na história do Brasil, mas fez muita coisa boa também. Representado pelo General Cândido Rondon, General de estrelas celestes, sem precisar do Kaol, armou uma tenda luta pela integração e dignificação da Amazônia. Com a defesa do território, da cultura local e dos povos nativos. Esse Exército merece respeito. Também merece respeito o Exército que foi à Guerra contra o nazi-fascismo. Os pracinhas que derramaram o sangue nacional na luta pela liberdade dos povos.


E o atual, general Mourão? É o Exército de quem? Numa coisa é bom ver esse Exército moralmente apequenado. Com proventos acima do teto, empanzinado de cargos comissionados, cabide de empregos de oficiais "civilizados". Todos em cargos civis abocanhando uma boquinha. É o Exército de Bolsonaro? Talvez.


Ótimo, esse Exército não tem estofo nem pra golpe, só pra galopar nas tetas do poder civil. Jamais arriscará o contracheque numa luta golpista, com luta sangrenta interna, que haverá e escárnio isolador externo que haveria.


42 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Casamento e mais filhos

Bolsonaro declarou que o casamento com o PL do mensaleiro Valdemar da Costa Neto, aquele que foi condenado por corrupção, de quem Bolsonaro dizia querer distância, "vai gerar muitos filhos". Bem, po

A toga e o hipócrita

O ex-juiz Sérgio Moro revela-se muito preocupado com com uma recente besteira dita por Lula, quando interrogado sobre a quarta "eleição" de Daniel Ortega, na Nicarágua. Foi uma observação infeliz? Foi

A direita se lambuza...

...e seus adoradores ejaculam no gozo alheio. Bolsonaro, o rei da mentira, levou filhos e bajuladores "in pectore" para um passeio milionário, à custa do contribuinte, em Dubai. Tudo muito rico, muito