top of page
  • Foto do escritorFrançois

Estranheza por quê?

Estão estranhando a escolha do novo ministro da educação. Não vejo razão para tal estranheza. Se no reino da mediocridade, o rei é mentalmente inferior aos medíocres, qualquer auxiliar que mereça sua escolha não terá fronteira limítrofe da imbecilidade.

Está no cerne e no fígado do reino. Um reino tripal. Isso mesmo, tripal e não tribal. Posto que tribal vem de tribo, que é coisa de humanos. E tripal vem de tripas, que é coisa do intestino, onde se fabrica merda.

Uma das pérolas do novo ministraço, desse ministério de traças, é a defesa de violência física contra crianças, como forma "eficiente" da "educação" pelos pais.

Um malafaínha a mais ou a menos não altera o covil dos olavetes.

44 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Esconderijo de silêncios (VI)

Desde a partida do padre Salomão, Januária quase acostuma-se com a calmaria religiosa entre as igrejas. O novo padre, tolerante, a igreja Batista, luterana, com um pastor tradicional, os terreiros de

E quando morrer?

Ao nascer, nem lembro quando, se chorei, nasci. Infância de grotas, chãs, pé de serra, frutas, sacristias, chuva e seca, se brinquei, sorri. Adolescência, remanso das dúvidas, morrem as certezas, veló

Esconderijo de silêncios (V)

A chegada de novo pároco em Januária atiçou a curiosidade noturna dos habitantes. O que houvera de fato? O sacristão segurava-se na promessa feita ao padre Salomão. O novo padre, jovem, foi alvo de as

Comments


bottom of page