• François

Fuja da TV, quarentena televisiva

Ou mude de canais. Onde houver notícias sobre coronavírus, mude. Não há mais nada que não se saiba. É preciso o isolamento? É.

Tudo que já foi dito sobre os cuidados a seguir. Higiene, máscaras, isolamento. Tudo já foi dito sobre os sintomas. E todo mundo já sabe que só deve procurar unidades de saúde com sintomas graves. Mas essa maratona televisiva está fazendo mal. MUITO MAL. Imagine alguém com dor de dente ouvindo o dia todo notícia sobre cárie dental. Ou com dor de cabeça, ouvindo sobre enxaqueca. Ou com diarreia, ouvindo que não coma buchada de bode.

Isso tá acentuando para graves sintomas pequenos. Que povinho sadomasoquista. Tudo em nome de audiência e de falsa preocupação com a saúde pública. TERRORISMO televisivo. FUJA. Mude de canal. Tome sol no quintal, na varanda, tome uma pinga, um vinho, uma cerveja e veja esporte na televisão. Eu peguei essa merda.

Controlei bem os sintomas. Mas só comecei a melhorar quando deixei de ver e ouvir esse amontoado de imbecilidades. É uma disputa de putas ignorâncias.

Ouça os médicos. Não necessariamente os da televisão, que são obrigados a fabricar respostas inteligentes para perguntas imbecis.

Faça uma experiência. Continue isolado, mas para de ver noticiários televisivos e veja se você não se sentirá melhor.

Somos todos sugestionáveis. Muitos são hipnotizáveis. Esse noticiário massacrante diário é uma hipnose coletiva criminosa. No início prestou serviço, agora presta-se ao sadismo.

Notícia ruim repetida constantemente produz contágio. CHEGA!

Num tem mais ladroagem, nem banditismo, nem falcatrua? Num tem mais mentira politica? Num tem mais falta de saneamento? Num tem mais tráfico de drogas pra noticiar? Tô com saudade de vocês quando eram cretinos sem sadomasoquismo.


150 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Paulo Guedes, o bufão...

...que só bufa. De economia ou de ações na economia, nada. Absolutamente nada. Seus últimos feitos recentes foram a participação na reforma da economia chilena, que resultou na falência do Chile e na

Em cada avaliação...

... uma tendência. É o que se lê sobre o resultado das eleições. Entre os polarizados, cada lado avalia trazendo mais cinza do braseiro. Já que brasas de mesmo, mesmo, ninguém encontra com fartura. Do