• François

Hipócrita e demagogo

Mentiroso e farsante. Falso triste de velório. Tudo bem, vocês dirão "cadê a repulsa aos adjetivos"? Pois é, porém entretanto mas porém, (né, Limeira?) com sacripantas confessos e pulhas notórios num tem jeito.

Refiro-me ao senhor Jair Messias Bolsonaro. Cujos adjetivos também agasalham-se feito luvas no "caráter" de muitos dos seus acólitos.

O que ele fez? Foi ao velório de um soldado do Exército vitimado por um defeito de paraquedas, num exercício de função. Qual o problema?

O problema é que essa deferência à vítima do acidente não foi um gesto de humanidade, nem de cristianismo, nem de solidariedade. Só demagogia. A mais execrável demagogia.

Onde me arrimo para essa terrível afirmação? No seu próprio comportamento e reação a outros e muitos mortos. Quando se disse a ele o número de mortos pela pandemia, que ele minimizava, sua resposta foi, "e daí? não sou coveiro nem faço milagres". Quando disseram a ele que o Museu Nacional havia sido destruído pelo fogo, ele respondeu, "e daí? foi o fogo, quer que eu faça o quê?, não sou bombeiro".

Um lastimável acidente mata um jovem militar, cujo evento produz tristeza em todos que tomam conhecimento. Mas nenhum de nós diríamos como ele, "e daí? o paraquedas não abriu, quer que eu faça o quê"?

Pois é isso mesmo da adjetivação. Esse sujeito repulsivo nada sentiu pela morte do jovem. Ele aproveitou a morte do soldado para exibir a farsa do seu "patriotismo" e a verdadeira face do militarista frustrado. Só isso.

65 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O rinoceronte acoelhou-se

Pois é. O valentão de dois dias atrás virou coelho, quando lhe apertaram os colhões. Essa tchurma não engana. Tudo valentia de ocasião, esperando que as armas ostensivas e os músculos bombados imponha

O oitão do cajá

O Cajá era um sitio minimalista, de propriedade de minha avó, onde morava seu Bendito do Cajá. Nunca soube do seu sobrenome, conhecido era ele pelo pós nome do sitio onde morava. O sítio era tão sem g

Picaretagem interrompida?

Onde e por quem demonstra a maluquice do país, do qual alguém já disse há muito tempo: "No Brasil não será surpresa se um dia a Sexta Feira da paixão cair numa Terça Feira de carnaval". A que me refir