top of page
  • Foto do escritorFrançois

Nevaldo Rocha

Atualizado: 20 de jun. de 2020

Um empreendedor que o Sertão do Rio Grande do Norte emprestou à cidade e nunca mais o recebeu de volta. A não ser por visitas antigas ou pela casa de Caraúbas posta num cantinho de numa daquelas enormes fotografias que "enfeitam" o Shopping de meio do caminho entre o Sul e Norte de Natal.

Nevaldo é merecedor, sem qualquer favor, da minha admiração. Inclusive, e poucos sabem, pela ajuda desprendida que ele deu, sem divulgação ou cobrança, à Casa do Estudante, pardieiro belo e pobre abrigador dos estudantes retirantes do mesmo Sertão de onde ele também retirara. Presidia a Casa do Estudante, naquele momento, meu irmão Silvestre Gomes Júnior. (Inclusive com a edificação de novos apartamentos, na parte oeste da Casa do Estudante)

À sua memória associo minha deferência.

73 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Esconderijo de silêncios (VI)

Desde a partida do padre Salomão, Januária quase acostuma-se com a calmaria religiosa entre as igrejas. O novo padre, tolerante, a igreja Batista, luterana, com um pastor tradicional, os terreiros de

E quando morrer?

Ao nascer, nem lembro quando, se chorei, nasci. Infância de grotas, chãs, pé de serra, frutas, sacristias, chuva e seca, se brinquei, sorri. Adolescência, remanso das dúvidas, morrem as certezas, veló

Esconderijo de silêncios (V)

A chegada de novo pároco em Januária atiçou a curiosidade noturna dos habitantes. O que houvera de fato? O sacristão segurava-se na promessa feita ao padre Salomão. O novo padre, jovem, foi alvo de as

Comments


bottom of page