• François

Nevaldo Rocha

Atualizado: 20 de Jun de 2020

Um empreendedor que o Sertão do Rio Grande do Norte emprestou à cidade e nunca mais o recebeu de volta. A não ser por visitas antigas ou pela casa de Caraúbas posta num cantinho de numa daquelas enormes fotografias que "enfeitam" o Shopping de meio do caminho entre o Sul e Norte de Natal.

Nevaldo é merecedor, sem qualquer favor, da minha admiração. Inclusive, e poucos sabem, pela ajuda desprendida que ele deu, sem divulgação ou cobrança, à Casa do Estudante, pardieiro belo e pobre abrigador dos estudantes retirantes do mesmo Sertão de onde ele também retirara. Presidia a Casa do Estudante, naquele momento, meu irmão Silvestre Gomes Júnior. (Inclusive com a edificação de novos apartamentos, na parte oeste da Casa do Estudante)

À sua memória associo minha deferência.

71 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O rinoceronte acoelhou-se

Pois é. O valentão de dois dias atrás virou coelho, quando lhe apertaram os colhões. Essa tchurma não engana. Tudo valentia de ocasião, esperando que as armas ostensivas e os músculos bombados imponha

O oitão do cajá

O Cajá era um sitio minimalista, de propriedade de minha avó, onde morava seu Bendito do Cajá. Nunca soube do seu sobrenome, conhecido era ele pelo pós nome do sitio onde morava. O sítio era tão sem g

Picaretagem interrompida?

Onde e por quem demonstra a maluquice do país, do qual alguém já disse há muito tempo: "No Brasil não será surpresa se um dia a Sexta Feira da paixão cair numa Terça Feira de carnaval". A que me refir