• François

No duelo de frases...

...pinicos se fartam. Branchu, o filósofo parisiense perdido nas madrugadas do cais de Santa Rita, no Recife da triste melodia, dizia com muita reflexão: "Fora do buraco, tudo é beira".

E de pinicos, o duelo que mereceu registro literário foi entre Samuel e Clemente, num dos momentos geniais do humor de Ariano Suassuna, na obra ímpar "O romance da pedra do reino".

Dá pra misturar genialidade e pinico? Dá. Até porque o escatológico tanto trata de Deus, no fim do mundo, quanto do resultado da merda no mundo dos vivos. Vejam no dicionário, antes de me incriminarem.

Os exames de Aírton e Rafael deram negativos para o corona vírus. O que tem a ver com os pinicos? Tem sim. Aírton e Rafael são Bolsonaro. Quando você vai se vacinar contra gripe precisa identificar-se, com toda burocracia. É da lei. Aírton e Rafael não precisaram. E fizeram o exame com nomes falsos para depois, após a palhaçada de cobrança, feito pierrôs e arlequins, dizerem: "Eu sou um só, e me chamo Bolsonaro. Tô e sou negativo". "Operante positivo", respondeu o general Heleno.

Taí. Depois, vem o vídeo da reunião ministerial, que segundo o próprio Bolsonaro não haverá mais. "Não farei mais reunião ministerial". Isto é, fechou o cabaré.

E pra concluir no rumo da filosofia de Branchu, "O que é um peido pra quem tá todo cagado"? Nada. Na briga entre Bolsonaro e Moro, só tem caráter o feminino. Como assim? perguntaria Giovana. Briga, que é feminino, é a unica coisa que tem caráter entre Moro e Bolsonaro.


0 visualização