top of page
  • Foto do escritorFrançois

Notas

Cadê o coração de D. Pedro? Aquela médica da cloroquina, que sonhava ser Ministra, convenceu Bolsonaro a trazer o órgão do Imperador para, segundo ela, vincular a virilidade de D. Pedro ao presidente. Em decorrência disso produzir votos. Não funcionou.


Sobre o episódio, manifestou-se, lá do Jalapão, Florentino Vereda. Disse ele: "Se era essa a intenção, trouxeram o órgão errado. Era para trasladar o pau do imperador e não o coração". Aí um passante por aqui, rematou: "Isso mesmo, até pra adequar-se à fixação fálica de Bolsonaro".


Pesquisas pra todos os gostos, e até as dos desgostos. Sabe aquela turminha vendedora de opinião, do gotejamento nas vogais, ou numa vogal, divulgam números de uma vendedora de pesquisa. É tão escrachado que nem produz repercussão.

82 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Esconderijo de silêncios (VI)

Desde a partida do padre Salomão, Januária quase acostuma-se com a calmaria religiosa entre as igrejas. O novo padre, tolerante, a igreja Batista, luterana, com um pastor tradicional, os terreiros de

E quando morrer?

Ao nascer, nem lembro quando, se chorei, nasci. Infância de grotas, chãs, pé de serra, frutas, sacristias, chuva e seca, se brinquei, sorri. Adolescência, remanso das dúvidas, morrem as certezas, veló

Esconderijo de silêncios (V)

A chegada de novo pároco em Januária atiçou a curiosidade noturna dos habitantes. O que houvera de fato? O sacristão segurava-se na promessa feita ao padre Salomão. O novo padre, jovem, foi alvo de as

Commentaires


bottom of page