• François

O arreganho que nunca me assustou

Nem me bateu a passarinha. Essa história de golpe militar. Imaginar tanques de guerra enchendo as ruas do Brasil para dar golpe político só entra na cabeça de medrosos ou ignorantes. Chance zero. E não digo agora, disse antes. A cada ameaça do bufão, no cercadinho da bufagem, eu repetia. Tudo arreganho de cagão.

Taí. Agora, estão buscando foro especial pra salvar o 01 da cadeia. Ou da humilhação de uma cassação no Senado. E se houver, haverá. E não resultará em nada.

A Procuradoria Geral da República, num gesto de salvar a imagem, está cobrando do general Heleno, esse pijamado recalcado, desde os tempos de Sílvio Frota, a explicar a chantagem de "consequências imprevisíveis", que ele pôs numa nota bajulatória ao seu capitão superior. Vai ter de explicar. E não tem tanque de flandre nas ruas.

Entendeu, bundão? E os militares que receberam indevida e desonestamente o auxílio emergencial vão ter de devolver. Democracia é o regime do civismo. E militar honesto, que felizmente é a maioria, prima por garantir a atitude cívica da sociedade. Ponto final.

74 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

O nariz de Pinóquio...

...maior do que a Amazônia. Nunca na história da ONU, setenta e cinco anos, nem quando da guerra fria, em que mentiam soviéticos e americanos, um chefe de Estado mentiu tanto em tão pouco tempo. Quinz

O general e a dança da chuva

Um general, desses que empanzinam o governo, parece que de nome general Ramos, meu deus, disse que a chuva de ontem e hoje no Pantanal foi uma resposta de Deus à visita de Bolsonaro. General de quatro

Reinaldo Azevedo

Quando o Jornalista Reinaldo Azevedo tratava de forma cáustica, principalmente na Revista Veja, os detentores do poder, na época o PT e aliados, sob a liderança de Lula, eu discutia e o defendia nos e