• François

O arreganho que nunca me assustou

Nem me bateu a passarinha. Essa história de golpe militar. Imaginar tanques de guerra enchendo as ruas do Brasil para dar golpe político só entra na cabeça de medrosos ou ignorantes. Chance zero. E não digo agora, disse antes. A cada ameaça do bufão, no cercadinho da bufagem, eu repetia. Tudo arreganho de cagão.

Taí. Agora, estão buscando foro especial pra salvar o 01 da cadeia. Ou da humilhação de uma cassação no Senado. E se houver, haverá. E não resultará em nada.

A Procuradoria Geral da República, num gesto de salvar a imagem, está cobrando do general Heleno, esse pijamado recalcado, desde os tempos de Sílvio Frota, a explicar a chantagem de "consequências imprevisíveis", que ele pôs numa nota bajulatória ao seu capitão superior. Vai ter de explicar. E não tem tanque de flandre nas ruas.

Entendeu, bundão? E os militares que receberam indevida e desonestamente o auxílio emergencial vão ter de devolver. Democracia é o regime do civismo. E militar honesto, que felizmente é a maioria, prima por garantir a atitude cívica da sociedade. Ponto final.

76 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O rinoceronte acoelhou-se

Pois é. O valentão de dois dias atrás virou coelho, quando lhe apertaram os colhões. Essa tchurma não engana. Tudo valentia de ocasião, esperando que as armas ostensivas e os músculos bombados imponha

O oitão do cajá

O Cajá era um sitio minimalista, de propriedade de minha avó, onde morava seu Bendito do Cajá. Nunca soube do seu sobrenome, conhecido era ele pelo pós nome do sitio onde morava. O sítio era tão sem g

Picaretagem interrompida?

Onde e por quem demonstra a maluquice do país, do qual alguém já disse há muito tempo: "No Brasil não será surpresa se um dia a Sexta Feira da paixão cair numa Terça Feira de carnaval". A que me refir