• François

"O samba agoniza, mas não morre"

Pois pois, mestre Nelson Sargento. Você, que não é imortal de nenhuma academia, não morrerá nunca na memória do samba. Nem na história dos vivos, que vivem de sustentar a memória dos mortos, talvez tentando em vão escapar da morte.


Sargento é uma patente militar. Em você, não. Mesmo não sendo, você merece todas as continências. Sargento superior aos generais da atualidade. De todos? talvez não. Porém, entretanto, mas porém, nesse generalato que se sustenta entre a desfaçatez da disciplina dos cabides de emprego, da hierarquia de ocasião, você, Sargento Nelson, é muito mais superior. Aceite minha continência, de reservista de primeira categoria. Isso mesmo. Sou recruta reservista de primeira categoria.


E para esses generais pazuelentos, pançudos e venais de cargos, minha continência é o dedo maior de todos em pé, ladeado pelos dedos apontador e anelar, agachados, como amparo ao recado do dedo maior.


Viva o Sargento, Nelson do samba. Que igualmente à Democracia, agoniza, mas não morre.


31 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O que falta acontecer neste país brutalizado, estuprado e descido à condição de submundo do crime oficial. Crimes de Estado. Após chacina em favela do Rio, com aplausos de Bolsonaro, esse genocida cot

Qual a relação? Me veio à memória os tempos idos da Casa do Estudante. Lá cheguei vindo do Colégio Diocesano Seridoense, de Caicó. Caicó me abriu uma janela pro mundo, pelo CDS; a Casa do Estudante me

...da derrota de Bolsonaro. É Lula? Não. Lula sabe que nada está definido. Eleição e mineração só depois da apuração. Lição do velho pessedismo dos tempos saudosos do Brasil ingênuo e democrático. Inc