Os discursos na sintática...

...que responderam ao arroto do golpe fracassado.


O discurso de Luiz Fux é uma oração completa, com sujeito, predicado verbo-nominal, complementos e adjuntos.


Os discursos de Artur Lira e de Augusto Aras são orações subordinadas, carentes da oração principal, com sujeito indeterminado e predicado oculto. Coisa de "tanto faz não ser assim, como ser de outro jeito ou quem sabe diferente".


Lira fala tão cretinamente amador, que os olhos parecem envergonhados do que a boca diz. Aras, não. É um profissional da cretinice. Olhos e boca se combinam. Alguém disse, e eu concordo, que são dois discursos que podem ser feitos em batizado ou velório. Isto é, servem pra tudo. E o que serve pra tudo não serve pra nada.


Artur Lira abdicou da condição de representante do povo para assumir escrachadamente a gerência da rifa jogada entre o governo e o centrão. É ele o dono da Casa de Jogo, cujos dados jogados na mesa indicam a servidão ao escambo.

Augusto Aras não representa o Ministério Público, não. É o procurador geral do governo, e por ele procura, que tenha ou não tenha cura.




66 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Casamento e mais filhos

Bolsonaro declarou que o casamento com o PL do mensaleiro Valdemar da Costa Neto, aquele que foi condenado por corrupção, de quem Bolsonaro dizia querer distância, "vai gerar muitos filhos". Bem, po

A toga e o hipócrita

O ex-juiz Sérgio Moro revela-se muito preocupado com com uma recente besteira dita por Lula, quando interrogado sobre a quarta "eleição" de Daniel Ortega, na Nicarágua. Foi uma observação infeliz? Foi

A direita se lambuza...

...e seus adoradores ejaculam no gozo alheio. Bolsonaro, o rei da mentira, levou filhos e bajuladores "in pectore" para um passeio milionário, à custa do contribuinte, em Dubai. Tudo muito rico, muito