• François

Reinaldo Azevedo

Quando o Jornalista Reinaldo Azevedo tratava de forma cáustica, principalmente na Revista Veja, os detentores do poder, na época o PT e aliados, sob a liderança de Lula, eu discutia e o defendia nos embates teóricos com amigos e parentes.


Explico. Meu argumento era: Mesmo discordando de muitos dos seus textos, o comportamento dele lastra-se na obrigação da atividade jornalística. A surrada e sempre atual lição de Millôr Fernandes, "jornalismo é oposição, o resto são secos e molhados".


Reinaldo Azevedo teve formação de esquerda, na juventude. Coisa típica dos que têm caráter generoso na mocidade. Ou como dizia Carlos Lacerda, "a esquerda é a fatia generosa da política". E Lacerda, também de esquerda na mocidade e reaça na maturidade, disse isso já depois de velho. Reinaldo Azevedo é hoje um liberal, defensor da democracia e do Estado democrático e de Direito.


Hoje, os que detestavam Reinaldo Azevedo agora o aplaudem. E os que o idolatravam, agora o detestam. Quem mudou não foi Reinaldo Azevedo. Ele continua Jornalista com o J maiúsculo. Continua crítico do poder. Não demoniza seu passado e respeita sem inveja o passado dos outros.



41 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Caras de bunda

Tivemos recentemente dinheiro na bunda. Hoje temos nádegas nas fuças. A que me refiro? Aos comentários de alguns fascistóides da imprensa nacional inconformados com a vitória popular na Bolívia. Num d

O caráter e o talento

Tempos de acentuação vertical do mau-caratismo. A pergunta paira sobre a realidade política e cultural do continente de Vera Cruz. Fulano é talentoso? A pergunta sai numa reunião de jornalistas e prod