• François

Segredo de "estado"...

...ou Polichinelo de província? Essa é a questão posta quando o governo tentou impedir a entrega da gravação de uma reunião ministerial, em cuja duração, segundo o ex-juiz e ex-ministro Sérgio Moro, há provas da sua afirmativa de interferências de Bolsonaro em investigações da Polícia Federal.

Antes, o próprio Bolsonaro "ameaçou" desmoralizar Moro dizendo que iria divulgar a gravação. Logo depois, recuou, como ele recua diariamente, e disse que "fora aconselhado a não fazê-lo", sob o argumento de Assuntos de "segredos de estado" na referida reunião.

Ah...Jesus. Não há segredo com mais de três conhecedores, ensina a cultura popular. Ora, ali estavam ministros, assessores, servidores de café e água, ascensoristas e outros. Todo mundo já sabe o que rolou na reunião. Celso de Melo vai guardar o segredo de Polichinelo. O personagem ridículo da comédia napolitana, que expunha abertamente um segredo prometido na mesma peça bufa.

Qual "segredo de estado"? Bolsonaro referir-se de forma ofensiva à China, inclusive com palavras de baixo calão. Ficou aí? Não. O ministraço da educação chamar de "filhos da puta esses ministros do supremo". Além de outros termos, no correr da reunião. A forma de palavrões para vagina, testículos, pênis e anus.

Esse é o segredo, que assusta não pelo risco, mas pelo escracho de um governo nu. Imagino o rubor, vermelhidão, na face erudita do Ministro Celso de Melo. Isso é o que se sabe, se comenta e se escreve na mídia. Em todos os veículos, em todas as formas de mídia. E até agora não apareceu qualquer desmentido.

0 visualização