• François

Seis por meia dúzia?

Ou coturno por jaleco? Pelas declarações primárias do novo ministro da saúde, de um ministério inexistente, parece que só muda a cor da farda. Sai o verde oliva, entra o branco gelo.


O Dr. Queiroga, paraibano que fez residência no Hospital Adventista Silvestre, no Rio de Janeiro, é bolsonarista. Até aí tudo bem. É íntimo da família Bolsonaro. Tudo bem. É evangélico. Tudo bem. Não apoia o isolamento social, defende prescrição médica de medicamentos não comprovados, concorda com a opinião "médica" de Bolsonaro. Aí, paciência, nada bem. Tomara que entenda de logística mais do que e general Garcia, ops, Pazuello.


Quando um brasileiro, em Lisboa, perguntou a um lisboeta "por que vcs, portugueses, não fazem piadas com brasileiros"? O português respondeu: "E precisa"?

53 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O que falta acontecer neste país brutalizado, estuprado e descido à condição de submundo do crime oficial. Crimes de Estado. Após chacina em favela do Rio, com aplausos de Bolsonaro, esse genocida cot

Qual a relação? Me veio à memória os tempos idos da Casa do Estudante. Lá cheguei vindo do Colégio Diocesano Seridoense, de Caicó. Caicó me abriu uma janela pro mundo, pelo CDS; a Casa do Estudante me

...da derrota de Bolsonaro. É Lula? Não. Lula sabe que nada está definido. Eleição e mineração só depois da apuração. Lição do velho pessedismo dos tempos saudosos do Brasil ingênuo e democrático. Inc