• François

Sob o signo do chifre

Na madrugada do dia 16 de Novembro de 1889, Deodoro da Fonseca aceitou a argumentação dos republicanos e assinou do Decreto de Proclamação da República, assumindo o poder na condição de Ditador.


Não foi no dia 15. Por que então se comemora o dia 15? Porque foi no dia 15 a marcha para o Campo de Santana, com toda a pompa da manifestação cívico militar, cuja movimentação é registrada em fotos e fanfarras.


A verdade é mais opaca. Bem menos brilhosa. Deodoro era amigo do Imperador e defensor do Império. Queria apenas a destituição do Gabinete do Visconde de Ouro Preto, chefe do Governo Imperial. Até a madrugada do dia 16, ele estava decidido a proteger e manter o Imperador. Irredutível.


Foi então que um dos republicanos, talvez Benjamim Constant, teve a ideia luminosa. Criaram uma edição falsa do um jornal existente no Rio, que noticiava o seguinte: O Imperador decidira destituir o Gabinete de Ouro Preto. O que Deodoro queria. Mas a notícia seguinte alterou a decisão do velho Marechal. O jornal informava que D. Pedro nomeara para a presidência do Conselho de Ministros o ex-presidente da Província do Rio Grande, magistrado e senador, Gaspar da Silveira Martins. Foi a gota d'água que entornou o Império. E convenceu Deodoro.


Silveira Martins, que dá nome à rua do oitão direito do Palácio do catete, tomara uma namorada de Deodoro, quando este servira em Porto Alegre. O então oficial alagoano, sediado no Rio Grande, apaixonara-se por uma jovem gaúcha. Namoraram algum tempo. Até que ela apaixonou-se por Silveira Martins e abandonou Deodoro. Ficou a intriga figadal.


Ao saber dessa nomeação, o Marechal assinou o decreto de proclamação. Foi assim. Fato semelhante ocorreu muitas décadas depois, quando Carlos Lacerda fez uma edição falsa de um jornal existente para convencer Gregório Fortunado a confessar o atentado da Rua Tonelero. O jornal dizia que Lutero Vargas havia confessado e fugido.


Pois bem. Duas constatações. A História se repete, com a farsa no lugar da tragédia e a República nasceu sob o signo do Chifre. É por isso que o povo é sempre o último a saber das coisas.




50 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

...incomoda Bolsonaro. O Brasil é um país de poucas admirações internacionais. Mas, há dois sucessos brasileiros que são reconhecidos internacionalmente. O Programa de vacinação nacional, tanto na red

...e a campanha de rua. Lembro de uma estória antiga que contava um episódio didático. Um senhor mandou para um desafeto uma caixa de sapato, enrolada em papel celofane, contendo bosta de cavalo. O re