• François

Sobre o papo com Vlado

Essa conversa com Vladimir Carvalho, craque da cinematografia nacional, foi um momento descontraído em que abusei da sua gentileza para tratar de um assunto marcante na sua vida de cineasta e denunciador de um período de trevas da vida política nacional.


Tudo muito informal, sem pretensão de registro esmerado, mas Raíssa aproveitou para marcar o momento. E conseguiu. Mesmo que a descarga de bateria de um celular tenha interrompido o relato do cineasta, serve para chamar a atenção dos interessados nesse evento terrível que foi a filmagem de "Cabra Marcado para Morrer". Filmagem, censura, violência, ditadura. E nunca é excesso a relembrança dessa nojeira. Nunca. E se incomodar, melhor ainda. É preciso incomodar, para não esquecer.


Truncado, mesmo assim, o registro marca duas lembranças. A principal, o relato de Vlado. A outra, para mim, também principal, a fotografia desse encontro. Com essa figura excepcional de brasileiro, que é Vladimir Carvalho. Valeu, Raíssa. E Vladimir, acertadamente, chama-a de colega.

41 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

O nariz de Pinóquio...

...maior do que a Amazônia. Nunca na história da ONU, setenta e cinco anos, nem quando da guerra fria, em que mentiam soviéticos e americanos, um chefe de Estado mentiu tanto em tão pouco tempo. Quinz

O general e a dança da chuva

Um general, desses que empanzinam o governo, parece que de nome general Ramos, meu deus, disse que a chuva de ontem e hoje no Pantanal foi uma resposta de Deus à visita de Bolsonaro. General de quatro

Reinaldo Azevedo

Quando o Jornalista Reinaldo Azevedo tratava de forma cáustica, principalmente na Revista Veja, os detentores do poder, na época o PT e aliados, sob a liderança de Lula, eu discutia e o defendia nos e