• François

Taí a resposta, Odorico

Atualizado: Mai 30

Odorico Paraguaçu queria inaugurar um cemitério. Sua única obra. E sofria por não morrer ninguém. Fez de tudo por um cadáver. E o cemitério acabou inaugurado por ele próprio, cadáver e não prefeito.


Bolsonaro foi inaugurar uma pinguela no Amazonas. Ou melhor, reinaugurar. Pegaram a pinguela, uma ponte rústica que já havia, puseram proteções laterais, chamaram de ponte e lá foi o ridículo Odorico "inaugurar". Dezoito metros de pinguela. Fez discurso pra mata, pôs um cocar de penas cinzentas irregulares, horrível, e falou sobre índios. Os mesmos índios que ele pretende reprimir reduzindo suas terras.


Mas né disso que trato não. É das manifestações de hoje, pelo Brasil afora, que quero falar. Ou melhor, escrever. Só a Avenida Paulista, só ela, põe no chinelo todas as manifestações bolsonaristas, desses milicianos rurais e urbanos, das últimas manifestações e provocações, de semanas seguidas. Todas. No chinelo. Era um recado que os senhores golpistas queriam? Receberam. Pelo país todo, em várias cidades. E como é dado a todo golpista neofascista a posse da covardia, só resta por a viola no saco. E o saco no rabo.


A Democracia agoniza, mas não morre. Obrigado, Nelson Sargento!

48 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Casamento e mais filhos

Bolsonaro declarou que o casamento com o PL do mensaleiro Valdemar da Costa Neto, aquele que foi condenado por corrupção, de quem Bolsonaro dizia querer distância, "vai gerar muitos filhos". Bem, po

A toga e o hipócrita

O ex-juiz Sérgio Moro revela-se muito preocupado com com uma recente besteira dita por Lula, quando interrogado sobre a quarta "eleição" de Daniel Ortega, na Nicarágua. Foi uma observação infeliz? Foi

A direita se lambuza...

...e seus adoradores ejaculam no gozo alheio. Bolsonaro, o rei da mentira, levou filhos e bajuladores "in pectore" para um passeio milionário, à custa do contribuinte, em Dubai. Tudo muito rico, muito