top of page
  • Foto do escritorFrançois

Ventilador na boca da fossa

Tem rei nu não. Tem bufão de cueca nos joelhos. Essa é a informação da audiência que viu e ouviu a reunião "republicana" do ministério Bolsonaro. Tem de tudo. Eu já cantara alguns furos por aqui. Lembram?

O rei bufão estava "calmo" nas entrevistas de hoje. Nada daquela pose ameaçadora. E com máscara. Respeito ao vírus? Não. Escondendo o tremor dos lábios.

Foi uma reunião escrachada. Palavrões, insultos e ameaças. Sobrou pra todos. Ministros do Supremo chamados de filhos da puta. (pelo ministraço da educação, rapaz educado) Sugestão de prender governadores e prefeitos. (foi a Damares, subindo na goiabeira). Agressões a países e chefes de Estado. (o próprio Bolsonaro). Quanto ao que denunciou o ex-juiz Sérgio Moro, tá tudo lá.

Agora, vai ser o remendo pra enviesar o dito e fazê-lo desdito. Imagino o advogado orientando os generais do palácio sobre o depoimento deles. "Não, general, diga assim não. Diga assim". E o ventilador de dezesseis hélices rodando feito o cão na boca da fossa...

50 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Esconderijo de silêncios (VI)

Desde a partida do padre Salomão, Januária quase acostuma-se com a calmaria religiosa entre as igrejas. O novo padre, tolerante, a igreja Batista, luterana, com um pastor tradicional, os terreiros de

E quando morrer?

Ao nascer, nem lembro quando, se chorei, nasci. Infância de grotas, chãs, pé de serra, frutas, sacristias, chuva e seca, se brinquei, sorri. Adolescência, remanso das dúvidas, morrem as certezas, veló

Esconderijo de silêncios (V)

A chegada de novo pároco em Januária atiçou a curiosidade noturna dos habitantes. O que houvera de fato? O sacristão segurava-se na promessa feita ao padre Salomão. O novo padre, jovem, foi alvo de as

Comentarios


bottom of page